Open Site Navigation
Os consumidores do momento estão online
  • Rodrigo Pongitor

Relevância por si só é onde dinheiro vai para morrer

Relevância é a palavra que mais se atira por aí quando o assunto é marketing digital. Mas o que significa ser relevante? E como isso vira dinheiro para as empresas? Resolvi escrever as minhas ideias a esse respeito hoje porque o que mais vejo é gente vendendo gelo para esquimó.

Relevância é ser importante para alguém em um dado momento.

Com isso quero dizer que não basta saber quem é esse alguém, o momento também é importante. Um guarda-chuva é peso na mochila até começar a chover.

Disso você provavelmente já sabe, e deve estar montando funis de venda e avatares para otimizar esse aspecto; mas é sempre importante lembrar que para o empresário experiente, um texto que diferencia BtoC de BtoB é absolutamente irrelevante.

O assunto está sim no espectro de interesse e relevância do público; o problema é que não converte porque é elementar demais.

Tem duas variáveis para se entender esse tal de “momento do consumidor”.

  • Nível de educação (ou enriquecimento) dele, que é o caso desse exemplo que dei do empresário;

  • Momento num sentido temporal mesmo. É muito mais fácil converter alguém que está pronto para comprar, certo? Isso se aplica a relevância também.

Quando a Microsoft criou a ideia de um tablet moderno 10 anos antes da Apple, não soube educar o público; e não estava em um momento relevante para isso. Celulares touch-screen ainda eram coisa de ficção científica, então um tablet pareceu um truque aos olhos da população geral. Ninguém comprou a ideia, literalmente, porque não sabiam bem o que fazer com ela.


Tablet  da Fujitsu Siemens criado com base nas especificações e estrutura da  Microsoft para os Tablet PCs do início dos anos 2000. – Fonte: Wikipedia
Tablet da Fujitsu Siemens criado com base nas especificações e estrutura da Microsoft para os Tablet PCs do início dos anos 2000. – Fonte: Wikipedia

Então hoje o tablet é relevante em reuniões, gerenciamento da internet das coisas, acesso à internet prático, jogos eletrônicos, interações multitela, enfim; é relevante uma série de coisas que não existiam como são hoje na época do tablet da Microsoft. Não era relevante num mundo um pouquinho mais analógico.

Ser relevante só para o seu leitor é a maior falácia do marketing digital.

Dá nervoso ver pessoas criando conteúdo e anúncios mega interessantes para o público segmentado, mas que nada acrescentam no negócio.

Estou falando de coisas distantes do propósito pra valer; de uma imobiliária escrevendo artigos fantásticos sobre decoração sem perceber que eles vendem a casa, não o mobiliário.

De nada adianta 20.000 acessos diários a um artigo sobre fazer macarronada se ele foi escrito na intenção de vender tacos mexicanos; e isso acontece muito.

Relevância nos negócios digitais é portanto uma via de mão dupla. Se ela só interessa ao seu público, é jornalismo, e se só interessa à você, é irrelevante. Para dar resultados o conteúdo precisa estar alinhado com uma estratégia muito mais abrangente de negócios e de conversão.

Agora é a parte onde eu explico o título

A busca vazia pelas palavras-chave mais badaladas e os cliques mais frequentes são o cemitério dos investimentos em comunicação.

Se houve algum, foi-se o tempo em que a mera visita de um usuário representava dinheiro para a empresa. A internet fica maior a cada dia e buscar a relevância é importantíssimo, porém o tempo todo testemunho as pessoas correndo atrás disso como se fosse o objetivo final, e não uma das várias ferramentas do sucesso.

Economize a energia na busca da relevância perfeita; invista ela no planejamento do seu negócio na internet; colha relacionamentos mais próximos com os seus leads, menos custos na produção e gestão da sua presença digital e maiores taxas de conversão no geral.

0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

TODO O CONTEÚDO 
NO CONFORTO

DO SEU E-MAIL.

Na correria do dia a dia esquecemos de conferir o que tem de novo por aí, que tal receber no seu e-mail todas as novidades que saírem aqui no blog?